Saiba mais sobre

pesquisa e extensão

Atividades como iniciação científica, extensão e monitoria são ações institucionais com o objetivo de garantir uma formação mais completa e de maior qualidade aos futuros profissionais. Os programas de Iniciação Científica e de Monitoria existem desde o ano de 2013, e o programa de Extensão iniciou no ano de 2016. Editais são lançados no início de cada semestre, ofertando vagas com e sem bolsas aos acadêmicos da instituição.

INFORMAÇÕES

Coordenadora

Geórgia Miranda Tomich

Fale com o coordenadora

94.3424-5133/1304

E-mail

pic@fesar.com.br

Iniciação

científica

Na Iniciação Científica, acadêmicos de graduação têm a oportunidade de realizar todas as etapas de uma pesquisa científica, sendo obrigatórias a apresentação do estudo em pelo menos um evento científico e o envio de um artigo científico para publicação.

A Coordenação de Pesquisa e Extensão promove semestralmente eventos em que os alunos podem apresentar os resultados da pesquisa realizada. No ano de 2017, ocorreram as IV (Fotos 1 e 2) e V Mostras de Iniciação Científica, com a participação de docentes e discentes dos diferentes cursos da instituição.

Na Iniciação Científica, acadêmicos de graduação têm a oportunidade de realizar todas as etapas de uma pesquisa científica, sendo obrigatórias a apresentação do estudo em pelo menos um evento científico e o envio de um artigo científico para publicação.

No ano de 2017, foi publicado um artigo científico fruto de pesquisa realizada no Programa de Iniciação Científica da FESAR. O estudo, que foi realizado por docente e discentes do curso de enfermagem, avaliou os acidentes com exposição a material biológico entre trabalhadores que atuam na assistência à saúde no município de Redenção (PA); além de ter sido apresentado em evento científico relevante, o estudo foi publicado em revista científica Estudos Vida e Saúde (EVS, Goiânia, v. 44, 38-44, 2017).

Fotos 1 e 2: IV Mostra de Iniciação Científica da FESAR (Maio de 2017)

Em outubro de 2018 (Fotos 3, 4 e 5 ) , ocorreu a I Jornada Acadêmica da FESAR, com objetivo de incentivar e valorizar a produção do conhecimento. Mais de 400 acadêmicos da FESAR e de outras instituições de ensino de Redenção participaram do evento. Trabalhos acadêmicos de pesquisa e de extensão foram apresentados em salas temáticas, considerando diversos temas das ciências sociais, agrárias e da saúde. O evento contou com a presença de professores de cursos de graduação da FESAR que avaliaram os trabalhos apresentados, sendo os melhores premiados com certificados de mérito acadêmico.

Fotos 3, 4 e 5: I Jornada acadêmica da FESAR (outubro de 2018)

Perguntas e respostas sobre Iniciação Científica

1. O que é pesquisa científica

Aprofundar e produzir conhecimento em determinado tema. O tema em pesquisa é chamado de problema; portanto, pesquisar é buscar solução para um problema. A solução será alcançada através de artigos científicos, livros, atividades experimentais em laboratórios e coletas de dados em diferentes locais de estudo.

2. O que é iniciação científica?

A iniciação científica é uma atividade de pesquisa que busca despertar a vocação científica e incentivar novos talentos entre estudantes de graduação, que devem ser orientados por um professor qualificado.

3. Quem pode participar?

Todos os alunos regularmente matriculados nos cursos da FESAR, do segundo ao penúltimo período.

4. Qual requisito para participar de uma pesquisa científica?

Ter curiosidade e disponibilidade para se dedicar às atividades de pesquisa.

5. Como fazer para participar da iniciação científica?

Inicialmente o acadêmico deve procurar um professor da FESAR que esteja disposto a ser o seu orientador e que, preferencialmente, tenha afinidade com o tema da pesquisa. No início de cada semestre, o edital de iniciação científica é lançado, contendo as orientações para participar do processo seletivo. O regulamento do Programa de Iniciação Científica está disponível no site da FESAR (em “Regimentos e Manuais”).

6. Como concorrer à bolsa de iniciação científica

No edital de iniciação científica, são disponibilizadas bolsas aos acadêmicos na forma de desconto na mensalidade, durante o período correspondente à execução do projeto. Para cada curso, uma bolsa é disponibilizada, sendo destinada ao projeto de pesquisa que obtiver melhor classificação na seleção. A bolsa de iniciação científica não é cumulativa com outros benefícios ou descontos, como ProUni ou FIES.

7. A participação pode ser voluntária?

Caso o acadêmico já tenha algum benefício ou desconto na mensalidade, pode participar como voluntário, pois são ofertadas vagas sem bolsa nos editais. Existem outras vantagens, além da bolsa, que justificam a participação na iniciação científica.

8. Quais são os deveres do acadêmico envolvido com a iniciação científica?

Disponibilizar no mínimo 10 horas semanais e cumprir o cronograma estabelecido no projeto, assim como divulgar a pesquisa em eventos científicos e publicá-la em revista científica.

9. Porque participar da iniciação científica?

Os alunos envolvidos na iniciação científica e que se realmente comprometidos com a pesquisa científica tornam-se mais organizados, comunicativos, desenvolvem maior capacidade de compreensão dos fatos e ingressam rapidamente na pós-graduação.

10. Ao final do projeto, haverá certificado?

Caso os requisitos sejam cumpridos conforme regulamento do Programa de Iniciação Científica, o acadêmico receberá certificado, o qual terá muito valor no seu currículo. Além disso, parte das horas será validada pelo coordenador de curso como atividade complementar no histórico escolar.

11. Como deve ser o projeto de pesquisa?

O projeto deve explicar sobre o tema a ser estudado (introdução), a importância de se realizar o estudo (justificativa), o objetivo da pesquisa, a forma como será executada (métodos), assim como deve conter cronograma (etapas e datas previstas), orçamento (recursos e custos) e referências bibliográficas.

12. O projeto executado na iniciação científica poderá ser validado como trabalho de conclusão de curso?

Não, mas o mesmo tema sim. O acadêmico pode dar continuidade ao estudo desenvolvido na Iniciação Científica, e realizar o trabalho de conclusão de curso aproveitando o conhecimento e a experiência adquiridos.

Extensão

As atividades de extensão ultrapassam o ambiente acadêmico, pois são promovidas pela instituição de ensino destinadas à interação com a comunidade na qual está inserida. Os projetos de extensão devem ser desenvolvidos visando a troca de conhecimentos e a constituição de uma ponte com a sociedade.

Perguntas e respostas sobre extensão

1. O que é a extensão?

Atividades propostas na instituição de ensino que têm o objetivo de levar os conceitos e aprendizados desenvolvidos no ambiente acadêmico à comunidade, reconhecendo suas necessidades e seus saberes, e socializando o conhecimento.

2. Porque participar da extensão universitária

Além de ter a oportunidade de se tornar um profissional mais preparado para atender às demandas da sociedade, o aluno que tem atividade de extensão em seu currículo terá vantagem ao pleitear uma vaga de estágio ou emprego.

3. Quem pode participar?

Todos os alunos regularmente matriculados nos cursos da FESAR, do segundo ao penúltimo período.

4. Como fazer para participar da extensão?

No início de cada semestre, o edital de extensão é lançado, contendo as orientações para participar do processo seletivo. O projeto deve ser inscrito por um docente da FESAR, e os acadêmicos podem ser indicados por esse professor, que será o supervisor responsável pelo projeto. O regulamento do Programa de Extensão está disponível no site da FESAR (em “Regimentos e Manuais”).

5. A participação em projeto de extensão vale como atividade complementar?

Sim. A participação em projeto de extensão vale como horas de atividade complementar no histórico escolar.

6. Como concorrer a bolsa de extensão?

No edital de extensão, são disponibilizadas bolsas aos acadêmicos na forma de desconto na mensalidade, durante o período correspondente à execução do projeto. Para cada curso, uma bolsa é disponibilizada, sendo destinada ao projeto de pesquisa que obtiver melhor classificação na seleção. A bolsa de extensão não é cumulativa com outros benefícios ou descontos, como ProUni ou FIES.

7. A participação pode ser voluntária?

Caso o acadêmico já tenha algum benefício ou desconto na mensalidade, pode participar como voluntário, pois são ofertadas vagas sem bolsa nos editais. Existem outras vantagens, além da bolsa, que justificam a participação na extensão.

8. Quais são os deveres do acadêmico envolvido no projeto de extensão?

Disponibilizar no mínimo 5 horas (no caso de voluntário) a 10 horas semanais (no caso de bolsista) e cumprir as atividades propostas, com comprometimento e responsabilidade, conforme orientação do professor supervisor do projeto.

9. Ao final do projeto, haverá certificado?

Caso os requisitos sejam cumpridos conforme Regulamento do Programa de Extensão, o acadêmico receberá certificado, o qual terá muito valor no seu currículo. Além disso, parte das horas será validada pelo coordenador de curso como atividade complementar no histórico escolar.

10. Como deve ser o projeto de extensão?

O projeto deve explicar sobre o tema (introdução), sua importância (justificativa), seu objetivo, a forma como será executado (métodos), assim como deve conter cronograma (etapas e datas previstas), orçamento (recursos e custos), referências bibliográficas, instituições parceiras (com suas atribuições). Deve-se lembrar que todo projeto de extensão deve conter ações que visem a interação entre comunidade acadêmica e sociedade.

Monitoria

A monitoria é uma atividade oferecida pela instituição de ensino ao acadêmico, visando proporcionar ao aluno-monitor a prática no ensino da disciplina de sua monitoria, ou seja, tendo a finalidade de iniciação à docência.

Perguntas e respostas sobre monitoria

1. Como funciona a monitoria?

No início de cada semestre a coordenação de pesquisa e extensão lança o edital de monitoria, constando as vagas ofertadas, com bolsa e sem bolsa, nos diferentes cursos da FESAR, com prioridade às disciplinas com atividades práticas. O monitor desempenha diversas funções, dentre elas: participar das atividades de ensino, juntamente com o professor; cumprir horários pré-estabelecidos para os plantões de monitoria; apoiar na elaboração e na resolução de questionários, trabalhos e projetos relacionados à disciplina da monitoria; orientar os acadêmicos quanto às dúvidas das matérias ministradas em aula; auxiliar o professor na preparação de aulas práticas em laboratório ou teóricas.

2. Quais são os benefícios da monitoria?

A monitoria é uma prática que pode trazer diversos benefícios para a vida acadêmica e profissional do estudante. As principais habilidades desenvolvidas com a atividade, como conhecimento, autonomia, dedicação, disciplina, responsabilidade e trabalho em equipe, representam competências extremamente valorizadas pelo mercado de trabalho.

3. Existe a possibilidade de receber bolsa de monitoria?

Nos editais de seleção de monitoria, são ofertadas vagas com bolsa e sem bolsa, e assim o acadêmico pode receber bolsa na forma de desconto na mensalidade durante o período de participação na monitoria. A bolsa não representa vínculo empregatício com a instituição, nem pode ser cumulativa com outros descontos ou benefícios. Esse incentivo financeiro pode ajudar bastante o estudante durante a graduação, seja com transporte, alimentação, xerox ou compra de outros materiais como livros e cadernos, além de engajá-lo e motivá-lo ainda mais em seus estudos, fazendo-o se esforçar e dedicar-se ainda mais durante a prática da monitoria.

4. A monitoria vale como atividade complementar?

As horas de monitoria valem como atividade complementar, o que ajuda o estudante a cumprir a obrigatoriedade de comprovação de horas complementares para a obtenção do diploma de graduação. Além disso, a monitoria vale muito no currículo, sendo vantagem ao futuro profissional, pois sabe-se que a experiência em monitoria permite adquirir mais conhecimento, senso de responsabilidade, capacidade de comunicação e de relacionamento.

Mais informações: saiba mais sobre Iniciação Científica, Extensão e Monitoria da FESAR acessando seus respectivos regulamentos (“Regimentos e Manuais” no site), ou entre em contato com a Coordenadora de Pesquisa e Extensão da FESAR, Professora Mestra Georgia Miranda Tomich, pelo e-mail: pic@fesar.com.br